Atualmente, a Automação Residencial é primordial

Regular a iluminação dos cômodos, ter uma geladeira que envia sua lista de compras automaticamente ao mercado, fechar as cortinas usando apenas a sua voz, ligar e desligar remotamente eletrodomésticos é uma possibilidade que se torna cada vez mais conhecida com o avanço da chamada Internet das Coisas (“Internet of Things”, ou IOT, em inglês). Mas a automação residencial vai além do conforto e passa, cada vez mais, a ser um requisito nos projetos de arquitetura. E, diante, da atual pandemia do novo coronavírus, a automação pode auxiliar de forma eficaz na higienização residencial, contribuindo no combate à doenças infectocontagiosas.

“Com o cenário causado pelo coronavírus, compartilhar equipamentos como tablets, celulares, e controles remotos é um problema. Então, por exemplo, falar com um assistente de voz seguramente vai ser menos impactante do ponto de vista de contaminação. O comando de voz é interessante nesse sentido. Em alguns condomínios, você já tem também o reconhecimento facial como forma de entrada. Desta forma, não há necessidade de colocar a digital ou tocar em algum lugar onde muitos tocaram”, afirma José Roberto Muratori, diretor executivo da Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside).


LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas