Casa controlada pelo celular: entenda e prepare-se para a automação doméstica

Depois de controlar nossa conta bancária, as atividades físicas, substituir o dinheiro e o cartão de crédito e, acima de tudo, se tornar nossa central pessoal de informação, comunicação e entretenimento, chegou a hora de o smartphone controlar nossas casas. Se é que ele já não controla parte da sua. A automação residencial ainda não atinge 1% das residências brasileiras, mas este cenário é otimista está mudando rapidamente.

O Brasil ainda está muito longe da realidade norte-americana. Nos Estados Unidos, a participação de casas inteligentes - aquelas monitoradas por algum tipo de aplicativo - passa de 20% em um universo de mais de 120 milhões de residências. É outra história. Mas, por aqui, com o crescimento da penetração da internet e o uso dos smartphones, o mundo da Internet das Coisas dentro das casas começa a se tornar uma realidade cada vez próxima e acessível para mais e mais pessoas.

Os principais projetos de automação residencial estão voltados para funções de iluminação, áudio e vídeo e climatização. Mas com o crescimento da oferta de novos sensores, já é possível também controlar e medir o consumo de energia elétrica e de água, por exemplo. As possibilidade são cada vez maiores e, melhor, mais acessíveis também.

LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

LG aposta em eletrodomésticos mais sustentáveis e eficientes.

Cada vez mais tomamos consciência da necessidade de usar produtos sustentáveis, que nos ofereçam os almejados conforto e bem-estar, mas com uma economia de recursos e gastos. Alinhada a esse novo tempo, a LG tem investido no desenvolvimento de eletrodomésticos que entreguem tais benefícios ao consumidor.
“Inovando em produtos multifuncionais e conectados, conseguimos não só uma maior efetividade, mas também uma economia, seja de água, energia ou de tempo”, afirma Barbara Toscano, Head de Marketing da LG Electronics do Brasil.
Um exemplo das tecnologias inovadoras desenvolvidas pelo fabricante para assegurar ao consumidor um cotidiano mais sustentável e econômico é o Instaview. Esta funcionalidade evita o desperdício de energia gerado pelo constante abrir e fechar das portas das geladeiras.
Com apenas dois toques em um painel de vidro, os consumidores visualizam o interior da geladeira sem precisar abri-la. É um recurso que não apenas reduz o gasto de energia, mas garante que os alimentos fiquem frescos por mais tempo. O modelo ainda conta com sistema de Compressor Linear Inverter – que, aliado à tecnologia, ajuda a economizar até 32% da energia gasta em casa com esses aparelhos.
Um exemplo das tecnologias inovadoras desenvolvidas pelo fabricante para assegurar ao consumidor um cotidiano mais sustentável e econômico é o Instaview. Esta funcionalidade evita o desperdício de energia gerado pelo constante abrir e fechar das portas das geladeiras.
Com apenas dois toques em um painel de vidro, os consumidores visualizam o interior da geladeira sem precisar abri-la. É um recurso que não apenas reduz o gasto de energia, mas garante que os alimentos fiquem frescos por mais tempo. O modelo ainda conta com sistema de Compressor Linear Inverter – que, aliado à tecnologia, ajuda a economizar até 32% da energia gasta em casa com esses aparelhos.

Com pandemia, explode procura online por tablet e aspirador de pó robô

Fonte: Estadão, 17 de abril de 2020

Além de buscar mais alimentos e outros itens básicos, o que era previsível, o brasileiro decidiu equipar a casa para poder se virar sozinho


Confinado em casa há quase um mês, o brasileiro mudou não só a forma de fazer compras, com o avanço exponencial do comércio online, mas também o que compra. Além de buscar mais alimentos e outros itens básicos na internet, o que era previsível, ele decidiu equipar a casa para poder se virar sozinho. A sua nova lista de compras nas lojas online inclui produtos que ajudam a montar o home office, facilitar a rotina do trabalho doméstico, exercitar o físico e até dispensar a babá, a ida ao cabeleireiro, à padaria e ao petshop, por exemplo.

A explosão na procura por tablet e aspirador de pó robô sintetiza a nova rotina dentro de casa que o isolamento impôs. De toda forma é bom lembrar que a procura por esses dois produtos era muito pequena antes da pandemia.

Um modelo de tablet voltado para crianças, por exemplo, foi o produto mais procurado na internet nos primeiros quinze dias de isolamento, com um avanço de 17.152% em relação ao período imediatamente anterior, segundo o site de comparação de preços Zoom, que recebe 60 milhões de visitas por mês.

A venda de aspirador de pó robô que limpa a casa sozinho, por exemplo, também teve um boom: aumentou 721% na semana da virada de março para abril em relação a igual período de 2019, aponta a empresa pesquisa GFK que monitora as maiores varejistas.
"A procura por aspirador robô teve crescimento absurdo, foi uma surpresa", diz o diretor da GFK, Fernando Baialuna. No caso do tablet, ele lembra que esse era um produto que estava praticamente enterrado. Tinha caído em desuso antes da pandemia diante da preferência do consumidor pelo smartphone e notebook.

Thiago Flores, CEO do Zoom&Buscapé, acredita que o tablet foi ressuscitado porque os pais hoje precisam entreter as crianças em casa enquanto trabalham. Por isso, outros itens menos tecnológicos e que cumprem a mesma função tiveram aumento significativo na procura. O velho quebra-cabeças, por exemplo, registrou alta de 581% em março deste ano em relação ao mesmo período de 2019, segundo o site Compre&Confie.
Com todo mundo dentro de casa, diz Flores, há duas tendências muito claras de mudança de comportamento de consumo. A primeira, mais óbvia, é comprar itens de supermercados pela internet, que até hoje representavam muito pouco do comércio eletrônico. A segunda e mais curiosa, em sua opinião, é adquirir itens para a casa que tragam mais conforto para momento atual e que permitam executar tarefas sozinho. Nesse grupo, registra-se a maior procura por equipamentos de ginástica, para o escritório, cuidados com saúde (termômetro) e aparência (máquina para cortar cabelo e tintura para cabelo) e até mesmo eletrodomésticos tradicionais, como o fogão.

Esse é o caso da nutricionista Fátima Barbosa, de 62 anos. Afastada do hospital onde trabalha e que é referência da covid-19, ela começou a cozinhar com mais frequência e percebeu que estava na hora de trocar o fogão. Resultado: já comprou pela internet um novo. Nesse período de quarentena, também comprou uma TV para o filho de 24 anos para tentar segurá-lo em casa e uma máquina para fazer pão para o marido não precisar ir à padaria. "Comprei coisas que estão fazendo a diferença para nós."

Já a arquiteta e promotora de eventos Isabela, de 45 anos, e com um filho de 10 anos, diz que já tinha a casa "preparada" para a pandemia. Faz tempo que ela usa um aspirador de pó robô. "Esse aspirador é a salvação", conta. Mesmo assim, desde o início do isolamento comprou um computador novo para o filho, um Mop, espécie de vassoura que facilita a limpeza, e se prepara para adquirir uma lava-louças. Com todos em casa, a louça aumentou e tarefa de lavar ficou com o marido, depois que ele começou o home office.

Casas Inteligentes: a terceira idade encontra cada vez mais beneficios na tecnologia.

Fonte: Revista Forbes

Quando você pensa em smartphones e em casa inteligente, provavelmente imagina a geração milenium tornando  os seus espaços mais convenientes possíveis. Essa não é uma imagem imprecisa, mas também não é completa. Boomers e idosos são um mercado entusiasta e crescente para esses recursos, que podem tornar a vida mais independente, mais fácil, segura, saudável e agradável para a população de mais de 55 anos.

“Existe um equívoco de que os adultos mais velhos são adversos em termos de tecnologia. De fato, a tecnologia já é uma parte central da vida dos americanos mais velhos, e a conexão com seus dispositivos só deve crescer ”, observa Rodney Harrell, vice-presidente de comunidades habitáveis ​​da AARP, que presta serviços o oferece suporte de longo prazo. “Nossa pesquisa recente analisa o uso da tecnologia entre adultos com 50 anos ou mais e descobre que um em cada sete possui um dispositivo de assistência domiciliar, como o Google Home ou o Amazon Alexa. Além disso, mais de 80% dos americanos entre 50 e 64 anos têm smartphones, o que é quase o mesmo que a população em geral ”, ressalta.

LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

Conheça as novidades das TVs 4K

Fonte: Revista Home Theater

Mesmo com alguns fabricantes retardando lançamentos em função da COVID-19, este começo de ano trouxe boas novidades para quem procura uma TV 4K. Este é o produto mais vendido do mercado, com cerca de 5 milhões de unidades comercializadas ao longo de 2019.

Menos de quatro meses após a última atualização, publicada em dezembro, encontramos agora maior variedade de tamanhos e uma quantidade maior de TVs com os recursos HDR e/ou Dolby Vision, que trazem excelentes ganhos de imagem. Também há mais TVs compatíveis com assistentes de voz (Alexa ou Google) e equipadas com áudio Dolby Atmos.

Postagens mais visitadas