Alexa comemora seu primeiro ano no Brasil e Amazon traz informações curiosas desde seu lançamento

 

A Amazon celebra o primeiro aniversário de lançamento de sua Inteligência Artificial (IA) no Brasil, com a Alexa adquirindo cada vez mais conhecimento e tornando-se mais inteligente a cada dia. Também há um ano era feito o lançamento da família Echo de smart speakers, quando foram anunciados Echo, Echo Dot e Echo Show 5, e também o aplicativo Alexa gratuito para smartphones e tablets. Amazon lançou depois mais quatro novos dispositivos com Alexa – Echo Show 8, Echo Dot com Relógio, Echo Studio e Fire TV Stick Lite – e anunciou também a nova linha de dispositivos Echo que ficaram disponíveis esta semana no Brasil – como novo Echo e novo Echo Dot – além dos novos Echo Dot com Relógio e Echo Show 10 que chegarão em breve.

Mas qual a vantagem destes dispositivos e da IA na sua casa? A Alexa torna mais fácil conectar dispositivos de casa inteligente. Aí você vai me questionar que montar uma casa assim é caro e complicado. Mas eu retruco dizendo que não é não. É simples e agora está bem acessível com alguns itens bem em conta.

Mas voltando para o que a Alexa pode fazer na montagem da casa inteligente, com o surgimento de diversos produtos de outras marcas como Philips, Positivo, Samsung, Multilaser, Roomba, entre outros (lançados neste período com Alexa integrada ou compatíveis com Alexa) a coisa ficou mais barata e simples. Isso porque essa união de marcas aceitando a assistente virtual da Amazon (também muitas vezes aceitando a assistente virtual do Google), ficaram mais acessíveis lâmpadas, fechaduras, TVs, conectores de energia, câmeras, máquinas de café, ar condicionado, robôs aspiradores, entre outros, que deixam a automação residencial muito mais fácil com produtos. Para você ter ideia, com um plugue inteligente da Positivo conectado a uma fonte de energia, basta ligar a TV ou o ar condicionado, por exemplo, nele e antes de chegar em casa já ligar o ar para gelar o quarto e a TV para deixar tudo pronto para aquele filme ou série.

LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

As tendências habitacionais que a pandemia gerou

Algumas tendências habitacionais que vinham sendo implantadas gradativamente sofreram uma aceleração devido à pandemia. Um novo formato de enxergar o lar proporcionou ressignificações e utilização de modelos que atendam as necessidades dos moradores, desde as individuais até coletivas.

Além de buscarem mais conforto em suas casas devido à pandemia, de acordo com a arquiteta Jackeline Pacco, o mercado de construção civil tem se mostrado muito promissor. ''Diante desse cenário, as obras estão a todo vapor para atender os clientes, tanto para reformas quanto para início de obras. Hoje a área de construção civil está mega-aquecida'', pontua.

Entre as tendências residenciais antecipadas estão aquelas que proporcionam integração entre os ambientes comuns e promovem bem-estar nos espaços privados. Tendências que, segundo o arquiteto e urbanista Francisco Jianjulio, se devem ao fato de as residências estarem cada vez mais sendo vistas e preparadas para uso comum de todos os seus moradores.

''Neste momento, se tornou local de uso constante, proporcionando uma nova visão e necessidades no seu uso diário, ao mesmo tempo que espaços estão sendo integrados, os (ambientes) privados passam a ser mais valorizados'', diz o arquiteto e urbanista.
Muitas dessas mudanças já vinham sido implantadas gradativamente, segundo Francisco, ''devido à mudança na forma de habitar e pensar o espaço residencial.''

A arquiteta de interiores Stephanie Guidotti acredita que devido à permanência integral das pessoas em suas próprias casas, cada um foi observando suas necessidades. ''Uns sentiam falta de contato com a natureza, então optaram por uma casa com jardim ou apartamento com varanda. Outros já priorizam um ambiente exclusivo para home office, onde conseguem ficar isolados da rotina da residência'', conta.

LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

Casas inteligentes: como funcionam e quanto custa para transformar a sua?

 

Maria Zilah Getti, de 77 anos, só tinha uma exigência na construção do seu novo lar: uma casa inteligente. Seguindo as ordens da nova moradora, a arquiteta Flavia Ranieri, do escritório Mys Senior Design, instalou um sistema de luz e som integrados, fechaduras automáticas e mais uma série de aparelhos que atendessem às necessidades e vontades de Dona Zilah.

O que era luxo agora significa comodidade. A tecnologia na casa garante, para pessoas de todas as idades, segurança, personalização e economia. Em tempos de coronavírus, passou também a ser uma medida sanitária, uma vez que a maioria dos comandos é feita por assistentes de voz ou programação, evitando o toque. As iniciativas podem ajudar ainda pessoas com algum tipo de deficiência, com botões que fazem prateleiras descerem ou lâmpadas conectadas com a campainha, o que permite que pessoas com dificuldades de audição possam entender a presença de uma pessoa na porta.

De acordo com a Associação Brasileira de Automação Residencial e Predial (Aureside), atualmente existe uma média de 900 mil a 2 milhões de casas inteligentes no País - algo que em 2015 chegava perto de 300 mil. “Estamos em um momento de usar a casa. E, por causa disso, surgiram muitas necessidades novas, das quais a automação desempenha um papel extremamente importante”, diz o presidente da Aureside, José Roberto Muratori, citando como exemplo a conectividade e produtividade para o home office.

Para os idosos, trazer a tecnologia para a realidade do dia a dia é sinônimo de autonomia, com lâmpadas que acendem automaticamente ao sentir movimento a gavetas de remédios com sensores programados, que avisam o morador o horário da medicação. “A casa inteligente é aquela que simplesmente entende suas necessidades”, resume Flavia Ranieri.

LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

3 configurações essenciais de privacidade para seu Amazon Echo

 

Os dispositivos Echo da Amazon estão mais populares do que nunca e, apesar da concorrência do Google, a Amazon ainda domina o mercado de assistentes virtuais com sua Alexa. Com sua crescente biblioteca de habilidades, o Echo se torna mais útil a cada dia que passa.

Mas mesmo com o Echo conquistando mais fãs, os críticos ainda estão céticos: a Alexa está sempre nos ouvindo? Nossas vozes são gravadas e armazenadas? Essas são apenas algumas preocupações. Os proprietários temem que seu Echo seja hackeado, permitindo que estranhos ouçam suas atividades diárias.

A maioria das pessoas está disposta a ignorar esses perigos, mas algumas pessoas acabam com um Echo na meia e morrem de medo de uma escuta telefônica ad hoc na sala de estar.

Se você já tem um Echo, esteja preparado para um choque. O seu pode estar gravando mais do que você jamais imaginou ser possível. Felizmente, existe uma maneira de Alexa deletar tudo o que você diz.
Antes de dar as boas-vindas a Alexa em sua vida, considere algumas configurações de segurança. Você pode achar que eles não são necessários, mas é bom conhecer suas opções.


LEIA ESSE ARTIGO COMPLETO

Como o mercado de automação pode alavancar o mercado imobiliário?

O setor imobiliário é um dos mais concorridos e, por isso, uma imobiliária precisa inovar em seus serviços e nos bens que tem para oferecer, para que possa continuar crescendo.

Hoje em dia, uma das coisas que as pessoas mais procuram é praticidade, tanto dentro quanto fora de casa, pois vivemos em uma período onde a vida é muito corrida e é preciso realizar diversas tarefas ao mesmo tempo.

Isso mudou a maneira como vivemos, e a tecnologia se tornou uma forte aliada nesse processo de mudança. Por meio dela, é possível tornar tudo muito mais prático e rápido, e a nossa residência também entrou nesse meio de transformação.

A automação residencial é uma resposta inteligente às nossas necessidades de praticidade e conforto, dispensando atividades básicas do dia a dia de nossa lista de afazeres.

Por meio da internet e de softwares, é possível colocar tudo em um dispositivo móvel e controlar o funcionamento de uma casa pelo celular. Dessa maneira, as imobiliárias devem estar atentas , uma vez que isso pode transformar a maneira que fazem negócio.

Por isso, neste artigo, vamos falar como a automação industrial pode mudar o mercado imobiliário para melhor. Acompanhe a leitura!
O que pode ser automatizado?

Quando falamos em automação residencial, falamos de uma tecnologia que vai além da praticidade, trazendo também mais luxo a um imóvel. É isso o que faz dela tão encantadora, uma vez que está em plena ascensão no Brasil.

Juntamente com o sistema fotovoltaico isolado, a automação residencial também torna o imóvel mais sustentável, o que acaba por valorizá-lo.

Apesar de todos os benefícios que traz e de ser um assunto em pauta, muitas pessoas ainda têm dúvidas do que pode ser automatizado dentro de casa.

Podemos dizer que essa dúvida é bastante abrangente, uma vez que a tecnologia envolvida na automação está em constante evolução, o que também envolve o surgimento de novos equipamentos e eletrodomésticos.

De qualquer forma, existem muitos itens que podem ser automatizados dentro de casa, e dentre os principais estão:

Lâmpadas;
Persianas;
Interfones;
Portas e portões;
Sistemas de áudio e vídeo;
Câmeras de segurança;
Eletrodomésticos;

A iluminação é um fator importante e um dos itens mais procurados para automação. Ela pode ser totalmente controlada por um smartphone, definindo intensidade, efeitos, além de horários para ligar e desligar.

As persianas podem ser programadas para abrir e fechar em determinados horários, o que permite aproveitar melhor a iluminação natural, além de trazer mais conforto térmico para o ambiente.

Imagine poder atender o interfone de sua casa estando em outro lugar. Por meio da automação isso torna-se possível, o que traz mais conforto e também acessibilidade para deficientes físicos e idosos.

A segurança também é um dos principais objetivos da automação residencial e isso se mostra por meio da automação de portas e portões. Com isso, é possível controlar a abertura deles e ainda saber quando são acionados.

Todos os aparelhos de som e TV, incluindo plataformas de vídeo, podem ser controlados pela automação, o que muda totalmente a experiência de lazer.

Equipamentos de segurança, como as câmeras, também podem ser automatizados e o usuário pode ver em seu smartphone o que acontece em casa. Uma mãe pode monitorar os filhos em casa aos cuidados de uma babá, por exemplo.

Assim como em um projeto de sala comercial, os projetos residenciais também podem incluir a automação para controle dos eletrodomésticos. Exemplo disso são máquinas de lavar e cafeteiras automatizadas que tornam o dia a dia mais prático.

As banheiras também podem ser controladas, ajustando quantidade de água e temperatura da água, para maior conforto e comodidade.

Analisando todas as possibilidades oferecidas pela automação, podemos dizer que vale a pena pensar nela como uma possibilidade para a venda de imóveis.

Assim como escolher uma cortina rolo para quarto para o decorado do empreendimento, a imobiliária pode automatizar o imóvel para torná-lo ainda mais atraente.

Imagine o cliente poder ver a casa “funcionando” antes mesmo de se mudar para lá. Será uma experiência inesquecível e que fará com que ele pense muito a respeito.

Como a automação pode ser incorporada em construções

Durante um projeto de construção, é preciso pensar em muitos fatores, como os materiais que serão usados e os equipamentos que permitirão passagem de sinais de rede e fios, garantindo o funcionamento do imóvel.

A automação residencial pode acontece por meio de ondas de rádio que se propagam pelo ar. No entanto, elas podem ser interrompidas quando encontram muitos obstáculos, como as paredes.

A distância entre a fonte e o receptor do sinal também conta, por isso, se uma pessoa ou uma construtora pretende incluir a automação, devem fazer isso ao projetar a construção.

Assim como é importante pensar no paisagismo fachada residencial com antecedência, é importante incluir a automação, uma vez que isso vai ajudar a pensar o projeto de forma a eliminar essas barreiras.

Isso também inclui o posicionamento estratégico dos dispositivos, analisando até mesmo as melhores áreas dentro do condomínio, caso este seja o tipo de empreitada.

Durante essa elaboração, é possível reconhecer de que maneira os fios poderão ser mais bem distribuídos, evitando riscos de curtos-circuitos e incêndios.

De qualquer forma, é importante que profissionais como eletricistas estejam presentes, afinal, são eles que vão garantir a segurança de um projeto de casa inteligente.

Ademais, quando as instalações elétricas são bem feitas, os moradores conseguem economizar energia, o que faz do imóvel um espaço sustentável.

Um projeto que já inclua a automação também respeita toda a estrutura necessária para o imóvel, como a instalação de calha central telhado, sem prejudicar suas funções básicas.

De qualquer forma, o que se observa é que o mercado de automação evolui a passos largos, e traz sempre uma novidade que melhora a incorporação da tecnologia aos imóveis.

Com isso, fica mais seguro incorporá-la aos imóveis, ao mesmo tempo em que os torna mais atrativos para o público. Se a imobiliária inclui a automação nos imóveis que vende, estejam estes em construção ou não, com certeza oferece um diferencial.

Com a tendência da popularização das casas inteligentes, pelo menos em alguns aspectos, os imóveis que não contarem com essa facilidade, em algum momento, serão deixados de lado.
Automação: antes ou depois da construção?

Muitos se perguntam o que é mais vantajoso, aplicar a automação residencial antes ou depois de ter o imóvel construído. Conforme explicamos no tópico anterior, o melhor é incluir esse projeto durante a construção.

No entanto, assim como no caso da instalação de um painel fotovoltaico para ar condicionado a automação também pode ser aplicada a imóveis já construídos.

A tecnologia envolvida nesse processo permite automatizar até mesmo residências mais antigas. O que está em jogo aqui não é poder ou não instalar a automação, mas sim, o seu desempenho.

Quando um projeto de construção é pensado para incluí-la, já consta com uma estrutura que otimize o seu funcionamento. Por isso, se uma casa foi construída para receber automação, ela vai funcionar muito melhor do que em outras.

No caso das imobiliárias que contam com muitos imóveis já prontos para a venda, não existe nada que impeça a implantação da automação a eles. Aliás, isso é muito recomendável.

As razões nós já mencionamos aqui, mas se ela estiver envolvida com a construção de um novo empreendimento, por exemplo, pode priorizar a implantação de software para portaria virtual para já entregar um imóvel com automação.

As casas inteligentes unem a praticidade com a segurança, por isso, são mais valorizadas e mais procuradas pelas pessoas. O que agora parece apenas algo para poucos, logo estará nos lares de grande parte da população.

Dessa forma, o quanto antes a imobiliária estiver pronta para entregar imóveis automatizados, melhor. Com tantas mudanças e também com pessoas passando mais tempo em casa, a tendência é que elas queiram casas que as ajudem em seu dia a dia.

Imagine, por exemplo, que um deck para cobrir piscina automatizado vai facilitar a vida do morador e preservar o ambiente limpo por mais tempo e pronto para uso.
Conclusão

A tecnologia se tornou nossa aliada por diversas razões, mas, sem dúvida, uma das que mais merecem destaque é o fato de ela permitir que nossa casa se transforme em um ambiente que colabore com nosso dia a dia.

A tendência é que as pessoas valorizem isso cada vez mais, e deem preferência para os imóveis automatizados. Esse é um fator que merece atenção por parte das imobiliárias, para que elas acompanhem as tendências do mercado.

Oferecer aquilo que as pessoas procuram é a melhor maneira de garantir bons negócios em imóveis, e a automação é uma mudança que veio para ficar como critério básico de um bom lugar para se viver.


Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Postagens mais visitadas