A casa inteligente, mais que uma tendência, é uma demanda da sociedade


Fonte: Folha Vitoria, setembro 2019

A casa inteligente, mais que uma tendência, é uma demanda da sociedade, segundo Dionathan Rodrigues, diretor da Dr. Engenharia, construtora capixaba que aposta no diferencial ao oferecer obras de alto padrão, que unem a sustentabilidade e a tecnologia. “Esse é um caminho sem volta. A sustentabilidade deve ser uma busca de todos para que possamos continuar vivendo no planeta. E para nós, do ramo da construção civil, precisamos nos antecipar e oferecer desde já essa possibilidade para o nosso cliente”, explica.
Sensores de presença em ambientes compartilhados, utilização de energia solar fotovoltaica para o aquecimento da água do chuveiro e das áreas comuns e captação da água da chuva para utilizar em ar condicionados e na limpeza do prédio são algumas medidas que, além de tornar o espaço sustentável, proporciona economia de energia para o morador. “Apenas no apartamento, a economia gira em torno de 50% na conta pessoal do condômino. Mas, como buscamos ter um custo zero para as áreas comuns do empreendimento, isso também vai significar economia nas taxas condominiais”, conta.

Ao mesmo passo que o avanço tecnológico permite poupar recursos naturais, ele também torna possível proporcionar ainda mais conforto por meio das casas inteligentes. Biometrias para acessar o prédio e os apartamentos, automatização dos espaços comuns e particulares (sim, de fora da casa é possível controlar pelo celular a iluminação, o ar condicionado e até mesmo a cortina dentro do apartamento) e tomadas USB em todas as áreas do prédio tornam a vida desse morador mais confortável. “Na era da personalização, o consumidor não deseja encontrar no mercado os mesmos produtos que já está acostumado. Então, se uma empresa deseja vender, é necessário que ela inove!”, garante Rodrigues.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas