Smart homes já são realidade no Brasil; saiba como equipar sua casa


O mercado de tecnologia e conexão doméstica ganha força total no país e promete revolucionar a maneira de nos relacionarmos com eletrodomésticos e itens tão comuns como uma lâmpada

Publicado em https://gq.globo.com/ em 4 de junho de 2020

Quem assistiu Os Jetsons na infância provavelmente sonhou com uma casa onde um robô limpava, conversava com os humanos e tudo funcionava eletronicamente, com comando de voz. Parecia irreal, impossível, distante. Ou seria uma previsão do futuro com alto teor de acerto feita em 1962 por Hanna-Barbera? Ainda não estamos andando em carros voadores, mas dentro de casa já é possível ter um lar mais automatizado do que o da família Jetson.
Já se foi o tempo em que achar produtos para tornar a sua casa um espaço “inteligente” era algo inviável no mercado brasileiro. Empresas como Amazon, Google, Positivo, Xiaomi, Philips e Samsung oferecem desde lâmpadas Wi-Fi a robôs aspiradores.
 

Mas por onde começar?

“O primeiro passo para entrar no mundo da automação residencial é definir qual ecossistema você quer que seja sua central de comando. Os mais populares no Brasil são o Google Home, a Amazon Alexa e o Apple HomeKit. Isso é fundamental, pois, apesar de a maioria dos dispositivos inteligentes terem aplicativos próprios de controle, no dia a dia é inviável você ter de abrir um app toda vez que quiser executar uma ação (acender uma lâmpada, por exemplo)”, diz o Youtuber Tiago Flores, especialista em tecnologia.

Conversar com uma “caixinha de som” pode se tornar algo tão comum como ligar a TV com controle remoto. Aliás, o próprio controle pode ficar obsoleto em breve, já que a partir de comandos de voz é possível controlar a televisão e programar para entrar no seu canal de streaming:

“Fiz um vídeo no canal mostrando como criar uma rotina de Netflix e o pessoal enlouqueceu. Rotinas são uma sequência de ações programáveis com um único comando de voz. Fiz a TV ligar já na Netflix e junto a isso acenderem-se algumas lâmpadas com baixo brilho e cores quentes, para ficar um clima bem aconchegante.” 

Tiago explica que o ano de 2019 foi o maior em termos de avanço da automação residencial no Brasil. “Anteriormente, não tínhamos as presenças oficiais do Google Home (através do Google Nest) e da Amazon Alexa (através das caixas Echo). Agora abriu-se um grande mercado e, diariamente, são apresentados novos produtos compatíveis, como a linha da Positivo de Casa Inteligente”, revela.

Para montar a sua casa inteligente é necessário pensar, em primeiro lugar, quais são as suas preferências. Um homem que more sozinho em um apartamento terá necessidades diferentes de alguém que tenha um filho pequeno ou um idoso em casa. É recomendável dividir a automação por setores: central de comando, iluminação, segurança, limpeza, eletrodomésticos, conforto ou controle de aparelhos que não são originalmente inteligentes.


O futuro chegou a sua casa: O Irobot permite a programação de limpeza para os sete dias da semana pelo aplicativo via Wi-Fi ou por comando de voz (Alexa ou Google Home) (Foto: divulgação) 

O cérebro da casa

A três principais centrais de comando utilizadas no Brasil, como já foi dito, são o Google Home (a partir de R$ 199), a Amazon Alexa (entre R$ 279 e R$ 799, dependendo do modelo) e a Apple HomeKit (em aplicativo instalado em dispositivos da Apple). A partir desses aparelhos, é possível controlar por comando de voz os diversos dispositivos “smart” espalhados pela casa. Imagine programar uma lâmpada que está conectada ao Wi-Fi da sua casa e que poderá ligar em um determinado horário da sua escolha, mesmo quando ninguém estiver em casa? Dessa forma você pode enganar qualquer pessoa que queira invadir a residência, por exemplo. Ou então montar um desenho de luz que transforme a experiência de ler um livro ou ver um filme em algo mais aconchegante? Mudar a intensidade ou a cor da lâmpada, ligar ou desligar a luz sem ter que levantar da cama. As possibilidades são praticamente infinitas.

No Brasil, encontramos a Philips Hue (R$ 1.090 pelo kit de entrada com hub e 3 lâmpadas), que possui ótima estabilidade, sem perda de sinal. A Xiaomi oferece a Yeelight (R$ 142), com Wi-Fi, conexão direta com a sua central de comando ou pelo aplicativo instalado no celular e preço mais baixo, como costumam ser os produtos da marca chinesa. A Positivo, marca brasileira de tecnologia, possui uma série de produtos inteligentes que podem ser integrados, inclusive a lâmpada (a partir de R$ 79), que não tem a mesma potência das outras aqui listadas quando tentamos mudar a cor, mas pode ser achada com o menor preço de todas. Lifx (R$ 499) é a marca com maior potência de iluminação de todas as que encontramos no nosso mercado, sendo também a mais cara. Todas podem ser integradas às centrais de comando.

O futuro chegou a sua casa: Controlado por voz com a Alexa, você pode pedir músicas, notícias, informações, fazer lista de compras, agenda e comandar outros dispositivos conectados da casa inteligente (Foto: divulgação) 

Sem sair da poltrona

O dia amanhece e, ao invés de um despertador tradicional, as cortinas se abrem automaticamente, uma música suave toca e a cafeteira já está preparando o seu espresso. Quem não quer acordar assim? As facilidades da automatização podem viciar:

“Tenho aqui 3 Echo Dot (as caixas de som com assistente virtual 'Alexa' da Amazon); duas Centrais Infravermelho (para controle de TVs, Ar-Condicionado, Projetor etc.); Interruptores Wi-fi; Adaptadores de Tomadas Wi-fi e até minha fechadura de casa é automatizada. Possuo o modelo August Smartlock Pro, considerada por mim o melhor! Robô aspirador também mantém minha casa sempre limpinha, passa até pano e sai mais barato que uma diarista uma vez por semana… É só ter o controle”, revela Matheus Kise (@matheuskise), também Youtuber especialista em tecnologia.

Os robôs aspiradores andam pela casa sozinhos e tiram poeira de lugares que até você esqueceria de limpar. Eles não são a Rosie dos Jetsons, mas com seus sensores identificam obstáculos e sabem os lugares que estão limpos e onde ainda precisa limpar. Você pode sair para trabalhar e, quando voltar, só terá a preocupação de sentar e assistir à sua série (com comando de voz, claro). Os modelos disponíveis no Brasil variam entre R$ 400 e R$ 4.000.

O conceito de “casa inteligente” pode parecer afastar os seres humanos, mas a experiência de quem já projetou esse tipo de residência é outra: “Uma pessoa que perdeu a visão agora pode controlar diversos dispositivos, ter acesso a notícias e fazer ligações para familiares e amigos sem usar as mãos, apenas usando comandos de voz. A família de um idoso com Alzheimer pode ser avisada pela própria casa se ele esquecer uma panela no fogo, evitando uma tragédia”, analisa Tiago Flores.

O futuro chegou a sua casa: Diga "Ok Google" para pedir música, obter respostas diretamente e controlar dispositivos inteligentes (Foto: divulgação)

As tomadas smart são acessórios que fazem rapidamente sua casa viajar para o futuro. Elas conectam os plugues à sua rede local, permitindo ligar e desligar aparelhos como cafeteira, lâmpada ou televisão. Os modelos mais comuns no Brasil são o Smart Plug Positivo (a partir de R$ 129), a Lumenx Touch 2 Pad (a partir de R$ 72) e a Líder TOM-001 (a partir de R$ 149).

Para facilitar a vida de quem quer começar a montar o seu sistema integrado, Matheus Kise deixou uma dica do que seria mais importante: "Fechadura Digital; Assistente Virtual (Echo Dot ou Google Nest); Central Infravermelho; Robô Aspirador; e Interruptor Wi-fi (para controlar lâmpadas comuns)". Para Tiago Flores, as prioridades seriam: "Uma câmera de segurança da D-Link que, ao detectar movimentos, manda uma foto desse movimento por notificação no celular. Um controle remoto infravermelho universal da BroadLink, que permite controlar minha TV, e o ar-condicionado pela Alexa, por comando de voz. Interruptores inteligentes da Sonoff, que recebem comandos de voz para acender e apagar lâmpadas comuns, além de permitir incluí-las em rotinas e automações diversas. Um kit de segurança da Xiaomi, que tem sensores de porta e/ou janela, sensores de movimento e um alto-falante/sistema de alarme”.

George Jetson ficaria impressionado com o nosso “futuro”.

 

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagens mais visitadas